publicidade

Secretaria de Saúde de Patos estuda começar processo de castração química em massa nos cães de rua




A proliferação descontrolada de cães de rua se tornou uma situação gritante da saúde pública no Município de Patos. Por todos os bairros, ruas e avenidas é possível encontrar cães perambulando, muitos deles doentes, provocando acidentes automobilísticos, atacando cidadãos e sofrendo por falta de comida e cuidados.

Recentemente, a Organização Não-Governamental Adota Patos reinaugurou sua sala de castração para pequenos procedimentos cirúrgicos e a esterilização de cães e gatos. A ONG recebeu uma subvenção de R$ 3.000,00 e ajuda de voluntários para manter o funcionamento da entidade que cuida de animais em situação de rua, porém, a quantidade fugiu do controle e se tornou impossível atender a demanda.

Rafael Gomes, presidente da Adota Patos, disse que a sala de castração começou a realizar os procedimentos com a ajuda de médicos veterinários voluntários e com contribuições simbólicas para estes profissionais. A meta é castrar o maior número possível de animais, mesmo com as dificuldades e limitações financeiras da ONG. Para movimentos que já cuidam de animais de rua, a entidade vai cobrar valores mínimos para os procedimentos.

O secretário de Saúde do Município de Patos, Leônidas Dias, relatou que realizou uma reunião com o veterinário Dilermano Dantas e com a diretora do Canil Municipal de Patos, Gabriele Mendes, a experiente Gabi, que tem muitos anos de histórica de cuidados com os animais de rua. O secretário estuda com os colaboradores a possibilidade de iniciar o procedimento em massa de castração química em cães machos.

A castração química oferece uma série de vantagens por ser uma opção mais econômica, de baixo risco e de forma simples para procedimentos não cirúrgicos e de menos dor, evitando estresse e com menor possibilidade de hemorragia e infecções. Outra vantagem é que o animal pode voltar ao seu habitat sem que se reproduza, evitando um dos maiores problemas atualmente, que é a proliferação descontrolada.

Leônidas Dias relatou que os levantamentos necessários começaram a ser tomados, mas não especificou data para o início da castração química nos cães machos que perambulam pelas ruas de Patos. 


Polêmica Patos


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.