publicidade

PSDB decide retaliar Ruy, Edna e outros 12 deputados que votaram a favor do voto impresso

 


A direção nacional do PSDB decidiu retaliar os deputados Ruy Carneiro e Edna Henrique, além de outros 12 parlamentares, que desobedeceram o comando da Executiva da legenda  e votaram a favor da PEC que tornava obrigatório o voto impresso no sistema eleitoral brasileiro. O partido havia fechado questão contra a PEC e, pelo regimento interno, pode punir os parlamentares que não seguiram a orientação, inclusive com a expulsão por justa causa, o que poderia resultar na perda do mandato.

A retaliação adotada não será a da expulsão da legenda, mas o da concessão de um “bônus” do fundo eleitoral para os 17 deputados que votaram contra a PEC do voto impresso.

Da bancada tucana na Paraíba apenas o deputado Pedro Cunha Lima seguiu a orientação da Executiva nacional do partido e votou contra a instituição do voto impresso, defendida pelo presidente Jair Bolsonaro.

O presidente do PSDB de São Paulo, deputado Fernando Alfredo, chegou a defender a expulsão imediata dos parlamentares que votaram a favor da PEC, alegando que a direção nacional corre o risco de ficar desmoralizada.

Avalia-se que as divergências internas no PSDB, especialmente entre o governador João Dória e o deputado Aécio Neves, tenham contribuído para a divisão da bancada. Dória defendia o voto contra a PEC. Aécio, que chegou a questionar o resultado das eleições de 2014, quando perdeu para Dilma Rousseff no segundo turno e pediu uma auditoria na apuração, se absteve na votação, mas teria influenciado uma ala da legenda.

A decisão de concessão do bônus para os deputados fiéis à orientação da Executiva ainda será formalizada.


Blog do Josival Pereira

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.