publicidade

Gerente da Central de Regulação e Marcação esclarece dúvidas sobre paciente que precisa de cirurgia e confirma assistência

O gerente da Central de Regulação e Marcação da Secretaria de Saúde de Patos, José João de Albuquerque, vem a público esclarecer que o paciente Manuel Ferreira da Costa, 59 anos, residente na Rua Pedro Davi, bairro Monte Castelo (Patos-PB), teve o acompanhamento completo por parte da gestão municipal, desde o diagnóstico do problema até o momento de tentar marcar a cirurgia no Hospital Universitário de João Pessoa.
 
Segundo João, o processo de marcação foi suspenso devido aos trâmites de contenção da pandemia do novo coronavírus, uma vez que o próprio hospital não teve como marcar o procedimento com a celeridade necessária para o caso.
 
João aproveitou para explicar que, inicialmente, o paciente teve uma consulta na especialidade de proctologia, viabilizada pela Secretaria de Saúde de Patos (SUS). Após isso, o mesmo foi submetido ao exame de colonoscopia, no Centro de Especialidades Frei Damião, onde foi diagnosticado com uma fístula.
 
O próprio Centro de Especialidade Frei Damião solicitou o encaminhamento do paciente para o Hospital Universitário em João Pessoa, para ser submetido a uma cirurgia. Ainda segundo informou o gerente da Central de Regulação e Marcação, todos os trâmites burocráticos foram realizados para o encaminhamento do paciente, inclusive destacando prioridade para o caso.
 
Porém, devido à chegada da pandemia, o Hospital Universitário de João Pessoa suspendeu temporariamente os agendamentos eletivos, o que impossibilitou diretamente a marcação urgente do procedimento cirúrgico.
 
Portanto, diante da notícia divulgada nos meios midiáticos locais de que familiares deste paciente estariam realizando uma campanha virtual para conseguir custear a cirurgia do mesmo, e ainda dos comentários de algumas pessoas que chegaram a insinuar que a gestão municipal não teria dado a atenção devida ao caso, José João de Albuquerque garantiu que em nenhum momento houve omissão ou negligência perante a situação do paciente.
 
E reforçou dizendo que todo o processo legal para marcar a cirurgia foi feito junto ao hospital de referência em João Pessoa, porém até o momento não foi possível liberar o procedimento devido ao que já foi exposto anteriormente.
 
Mesmo assim, ele se mostrou aberto para buscar resolver a questão do paciente Manuel Ferreira da Costa, se assim for de seu interesse e também dos seus familiares.
 
Por último, o gerente afirmou que possui toda a documentação comprobatória de que o paciente em questão teve o acompanhamento e a assistência necessária para o seu caso, mediante todos os trâmites legais via SUS.



Coordecom - Patos 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.