publicidade

Dr. Ramonilson Alves fala sobre posição de filiados do Patriota que cometeram crime ao defenderem golpe militar no Brasil



O pré-candidato a prefeito de Patos e presidente Municipal do Patriota, Dr. Ramonilson Alves, se posicionou na manhã deste domingo, dia 26, sobre a polêmica envolvendo filiados do partido que fizeram defesa de golpe militar no Brasil. 

As declarações repercutiram nas redes sociais e na imprensa. Especificamente, a celeuma envolveu o físico Rodrigo César Limeira e seu irmão, o agropecuarista Walter Limeira, ambos filiados ao Patriota e ferrenhos defensores de Bolsonaro. Eles relataram em redes sociais o desejo de ter intervenção militar no Brasil.


Rodrigo escreveu: “Como filiado e militante do Patriotas eu reafirmo que continuo sonhando com uma intervenção militar no Brasil”. Walter relatou: “Vamos aproveitar esse protesto e pedir intervenção militar”. As postagens geraram inúmeros questionamentos, pois tal apologia pelo rompimento democrático é crime previsto na Lei 7.170/83 (Lei da Segurança Nacional) e na Lei 1.079/50 (Lei dos Crimes de Responsabilidade).

Dr. Ramonilson Alves lamentou não ter sido contatado de imediato pela imprensa que repercutiu as postagens dos filiados. Ele, como presidente da legenda em Patos, enviou áudio explicando que “…a democracia, o governo do povo, pelo povo e para o povo, é o princípio número um, não só da Constituição do Brasil, como também do partido Patriota. Eventuais integrantes tem o direito de se expressar como bem entendam, mas deixo bem claro que o canal de diálogo com a sociedade é sempre a via democrática. Por isso que eu fiz opção pelo partido Patriota. Sempre pelos meios democráticos: é o princípio número um deste partido! ”, afirmou.

Perguntado se os filiados em questão serão advertidos, pois, além de crime contra a democracia também feriram o próprio estatuto do partido, Dr. Ramonilson respondeu que será aplicado o estatuto.


J. Antero/Patosonline.com

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.