publicidade

Advogado de defesa de Dinaldinho dispara: “Se não viram elementos que sustente uma ação civil, como é possível que uma ação penal com afastamento prossiga?"

O Ministério Público da Paraíba pediu o arquivamento de ações contra Dinaldinho. O pedido foi da 4ª Promotora de Justiça de Patos, Mariana Neves Pedrosa Bezerra.
Dinaldinho foi afastado da Prefeitura de Patos desde o dia 14 de agosto de 2018 por decisão do Tribunal de Justiça da Paraíba a pedido do Ministério Público da Paraíba.
O prefeito foi denunciado no âmbito da Operação ‘Cidade Luz’, que investigou a existência de fraudes nos contratos de iluminação pública da cidade de Patos.
A promotora Mariana Neves afirma que a sua decisão se deu através do fundamento para a propositura de ação civil pública por não haver a comprovação de que houve a prática de ato de improbidade administrativa.
Nesta sexta-feira, 28 de fevereiro, o nosso colaborador Adilton Dias, ouviu um dos advogados de defesa de Dinaldinho, Taciano Fontes, que disse: “Se não viram elementos que sustente uma ação cível, como é possível que uma ação penal que resultou no afastamento de um prefeito eleito pelo povo prossiga”?
O advogado disse que agora é um questão de honra para Dinaldinho provar que foi injustamente afastado do cargo. Para ele, o desejo de reassumir a Prefeitura de Patos agora fica no segundo plano, já que o estrago já foi feito, mas a necessidade de provar a inocência do seu cliente agora é prioridade.
Taciano questionou o fato de outros políticos, como por exemplo, alguns envolvidos na Operação Calvário, que foram flagrados com fartas provas e desviaram milhões de reais, estarem soltos e livres, enquanto seu cliente ter sofrido esse impacto profundo em sua vida política e privada, supostamente com fatos não comprovados.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.