publicidade

Vereador Francisco Bezerra cria medalha que homenageia poeta Odilon Nunes de Sá, de Santa Terezinha

Em Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Santa Terezinha, realizada no dia 8 de novembro, o vereador Francisco Bezerra (PSB) apresentou o  Projeto de Lei que dispõe sobre a instituição da Medalha de Honra ao Mérito Cultural: POETA ODILON NUNES DE SÁ. Segundo Francisco, Odilon foi um grande poeta, nascido no Sítio Riacho do Cipó, em Santa Terezinha, em 1900. Figura ímpar, ingressando na política, elegeu-se vereador à Câmara Municipal de Santa Terezinha, dando significativa contribuição a essa cidade, que viu nascer e que contribuiu para seu progresso.

Militante de reconhecido valor foi-lhe outorgado o "Diploma de Honra ao Mérito" (in memoriam), pelo Diretório Estadual do PMDB - agremiação política à qual pertencia - em maio de 2000. A mais completa prova do prestígio gozado por seu Odilon junto à população de Santa Terezinha foi a escolha do nome de sua esposa para concorrer ao cargo de vice-prefeita, na chapa encabeçada pelo médico José Gayoso Filho, ambos eleitos para o período de 1997-2001.

O poeta e ex-vereador Odilon faleceu aos 16 de maio de 1997, na cidade de Patos, onde residia desde 1980. De seu casamento com Dona Maria Camboim nasceram onze filhos: Natividade, Luís, Conceição, Celso, Moisés, Raimundo, Socorro, Fátima, Terezinha, Arimatéia e Geraldo. Este último, falecido ainda criança. Com a morte de Odilon Nunes de Sá “a Paraíba perdeu um ídolo da poesia”. Seu maior legado foi ter deixado na Cultura Nordestina a poesia.

Um de seus mais belos versos:

“Acho graça a mocidade
Não querer envelhecer
Velho ninguém quer ficar
Moço ninguém quer morrer
Sem ser velho ninguém vive
Bom é ser velho e viver”.
 Em Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Santa Terezinha, realizada no dia 8 de novembro, o vereador Francisco Bezerra (PSB) apresentou o  Projeto de Lei que dispõe sobre a instituição da Medalha de Honra ao Mérito Cultural: POETA ODILON NUNES DE SÁ. Segundo Francisco, Odilon foi um grande poeta, nascido no Sítio Riacho do Cipó, em Santa Terezinha, em 1900. Figura ímpar, ingressando na política, elegeu-se vereador à Câmara Municipal de Santa Terezinha, dando significativa contribuição a essa cidade, que viu nascer e que contribuiu para seu progresso.

Militante de reconhecido valor foi-lhe outorgado o "Diploma de Honra ao Mérito" (in memoriam), pelo Diretório Estadual do PMDB - agremiação política à qual pertencia - em maio de 2000. A mais completa prova do prestígio gozado por seu Odilon junto à população de Santa Terezinha foi a escolha do nome de sua esposa para concorrer ao cargo de vice-prefeita, na chapa encabeçada pelo médico José Gayoso Filho, ambos eleitos para o período de 1997-2001.

O poeta e ex-vereador Odilon faleceu aos 16 de maio de 1997, na cidade de Patos, onde residia desde 1980. De seu casamento com Dona Maria Camboim nasceram onze filhos: Natividade, Luís, Conceição, Celso, Moisés, Raimundo, Socorro, Fátima, Terezinha, Arimatéia e Geraldo. Este último, falecido ainda criança. Com a morte de Odilon Nunes de Sá “a Paraíba perdeu um ídolo da poesia”. Seu maior legado foi ter deixado na Cultura Nordestina a poesia.

Um de seus mais belos versos:

“Acho graça a mocidade
Não querer envelhecer
Velho ninguém quer ficar
Moço ninguém quer morrer
Sem ser velho ninguém vive
Bom é ser velho e viver”.

Odilon Nunes de Sá



Blog do Jordan Bezerra

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.